Oprofeta

Oprofeta

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Amor - Love



Amor!
Sentimento ingrato,
Insensato, serve só
Para fazer sofrer.
Amor!
Ilusão, paixão descabida,
Alegria fingida, medo de
Perder, aflição sem razão
De ser.
Amor!
Vontade de estar junto,
Querer ter por perto
Aquela que a distância
Insiste em levar.
Amor!
Alegria boba, sorriso tolo,
A inocência acreditando
Ser amada. Amor.
Amor!
Sentimento que faz
Acreditar ter. Fraqueza
Que grita ao deparar-se
Com a solidão, medo que
Atravessa a noite e só
Apascenta-se nos braços
Da madrugada.
Amor!
Tormento. Lágrimas ao
Perceber não ser amado
Como tinha a ilusão de
Ser. Sofrimento ao ver o
Amor falando baixinho,
Com ar cúmplice, com
Outro, possível, amor.

                     Junho 27, 2013

                  *



Love

Love!
Ungrateful feeling,
Foolish, it is there just
To make cry.
Love!
Illusion, misplaced
Passion, feigned joy,
Fear to loose, grief
Without a reason.
Love!
Desire of to be together,
To want to see around
The one that the
Distance insists in to
Take away.
Love!
Silly joy, a fool smile,
The innocence
Believing to be loved
Any way. Love.
Love!
A feeling that makes
To believe to have
When have none,
Weakness that
Screams when faces
The loneliness, fear
That runs through the
Night and only easy
Down in the morning
Arms.
Love!
Torment. Tears
Realizing  do not to
Be loved as it have the
Illusion of being, and
Suffer to find out  the
Love whispering  with
A complicit air with
Another, possible,
Love.
                      June 27, 2013

                  *

terça-feira, 25 de junho de 2013

O gigante despertou



O gigante despertou e seu povo bravo,
Brava gente cansou-se de ser
Tosquiado e bradou: Basta! Basta! Basta...

As nossas ruas, agora, tem mais vida e
As nossas vidas têm mais cores e o
Nosso orgulho mais amor. O povo
Despertou e vislumbra um horizonte
Onde o Brasil orgulhoso figurará entre
As grandes nações.

O Brasil acordou e seu povo, num
Levante pacífico, reivindica o que lhe
Tem sido sistematicamente negado.
O povo brada canto de amor à Pátria,
E com seu canto cala os poderes que
O sufoca, e lhes roubas os seus
Sonhos causando-lhes gritar: Basta,
Basta, basta...

É festa! Orgulhoso o povo brasileiro sai
Às ruas reivindicando os seus direitos.
O povo brasileiro descobriu que pode
Dar rumo ao seu destino vencendo os
Desatinos daqueles que não sabem
Legislar.

O gigante despertou e o seu povo
Bravo bradou: - "Brava gente brasileira!  
 Longe vá medo servil; ou ficar a  gente
Livre ou morrer pelo Brasil, ou ficar a
Gente livre ou morrer pelo Brasil.." - .

                                                         Junho 25,2013

      "Brava..."  Hino da Independencia, Evaristo Veiga.

                           *

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Susto



Desgarro-me do ponderável e o
Improvável acontece. O susto!
As suposições, os pensamentos
Controversos e as acusações
Causam-me os medos.
Os medos não importam-se com
O meu medo e o assusta.  

Assusto-me com a evidência da
Verdade, com a ferocidade dos
Medos que me torturam no meio
Da madrugada. Os medos!
O susto me assusta com o intuito
Único de ver o pânico espelhado
Em meus olhos que o derrama
Em lágrimas.

Meu coração! Sustos, sussurros
Tragédias, paixões descabidas e
Medo. A bebida forte esconde o
Fundo do copo, de onde a voz de
Adele canta  - one and only - , e
A nostalgia desta música envolve
O meu espírito e uma sensação
De adeus me traz o medo mais
Uma vez.

Desgarro-me do ponderável e
Bebo o copo que repousa, mudo,
Em minhas mãos e o improvável
Acontece. Acontece!
As suposições tornam-se verdade
E as verdades seguram-me para
Que eu, bêbado, não caia ao
Tropeçar nos meus passos trôpegos
Empurrado por minha consciência
Que tendo-me bêbado em seus 
Braços ameaça me abandonar.

                               Junho 23, 2013

                           *

sexta-feira, 21 de junho de 2013

A grande marcha



Os ventos que ora sopram no coração
Do Brasil dão conta de que é chegado o
Momento de mudanças e de
Profundas transformações no cenário
Político nacional.
Os ventos sopram, clamam, convocam
Os brasileiros a marcharem rumo à
Reconstrução do nosso amado país.
Marchemos companheiros! Não
Esperemos as nossas instituições, já
Feridas de morte, sucumbirem às
Mazelas dos casuísmos, para então,
Tardiamente, reagirmos.
Marchemos! Este é o momento!
Esperar não é alternativa, pois os
Maus se proliferaram enquanto os bons
Dormiam. Marchemos! Vamos ao
Fronte e mostremos sermos dignos
Da confiança daqueles que esperam de
Nós. Lutemos com bravura pelo bem
Do nosso país, tendo por armas a paz.
Marchemos! E Deus, como nosso líder
Supremo, nos guardará da fúria dos
Nossos opressores. Lutemos porque
Os que não lutam jamais conhecerão
O doce sabor da vitória.  Não nos
Iludamos, companheiros! A luta que
Nos aguarda será árdua, os inimigos
São atrozes e os desafios
Amedrontadores, mas sigamos
Adiante sem medo porque não há
Vitórias sem lutas.
Marchemos, companheiros! Sejamos
Bravos porque o nosso medo é a
Coragem dos nossos opressores e,
Conseqüentemente, a nossa coragem é
O medo desses. Marchemos firmes,
Valentes, mas sempre focados em um
Movimento pacífico para que as
Armas dos nossos inimigos não tenham
Justificativas para nos ferir. Marchemos
Dia e noite até a vitória, que é certa,
Chegar.
                                               Junho 19, 2013.


                     *