Oprofeta

Oprofeta

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Distraído

Desavisado,
Olho para o céu,
Me descubro vigiado pela lua.
Estou na rua,
Descalço, sangro.
Piso às feridas
Que outrora me feriram.

Esquecido,
Sinto saudade dos teus braços,
Abraços que, prometendo me amar,
Me abandonaram.
Estou na rua,
Piso às feridas,
Que o desagasalho feriu.

De repente um beijo,
Desejo de ser beijado por ti.
Ilusão, quanta paixão!
Esquecido na solidão saio à rua,
Nossa rua.
A lua observa-me e
Esconde-se ao perceber o meu olhar.

Distraído,
Observo o escuro da noite,
Me descubro chorando o amor.
Saudade do que ficou na distância,
A rua, a lua, os braços e os abraços.
Sentimentos,
Só um vazio restou.


          $